16.7 C
Castro Verde Municipality
Quinta-feira, Outubro 28, 2021

Últimas Noticias

CORTIÇOL e Rádio Castrense repudiam acusações do Bloco de Esquerda de Castro Verde e da Distrital de Beja

COMUNICADO

CORTIÇOL E RÁDIO CASTRENSE REPUDIAM E DESMENTEM CABALMENTE AS ACUSAÇÕES DO BLOCO DE ESQUERDA DE CASTRO VERDE E DA DISTRITAL DE BEJA DO PARTIDO

Face ao comunicado emitido no dia 11 de outubro de 2021, com o título “Rádio Castrense tenta silenciar o BE”, emitido pelo Núcleo Concelhio de Castro Verde do Bloco de Esquerda e pela Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda, não pode a Direção da Cortiçol – Cooperativa de Informação e Cultura C.R.L, detentora da estação de radiodifusão “Rádio Castrense”, deixar de repudiar publicamente o mesmo.

Cabe-nos esclarecer que a Rádio Castrense recebeu no e-mail da sua redação, no dia 05 de outubro deste ano, pelas 20h32, um comunicado do Bloco de Esquerda de Castro Verde, no qual é exposto o seguinte assunto: “O Bloco de esquerda de Castro Verde manifesta publicamente a sua discordância em relação ao cancelamento da feira de Castro Verde 2021”.

No dia 06 de outubro, a Rádio Castrense fez tratamento noticioso da matéria emitida no comunicado do BE de Castro Verde, como sempre faz, seja com o Bloco de Esquerda ou qualquer outra força política do concelho, da região e do país. Tal comunicado, foi até disponibilizado INTEGRALMENTE no “site” da Rádio Castrense, SEM QUALQUER CORTE.

Tal informação permanece disponível aqui: https://radiocastrense.pt/bloco-de-esquerda-manifesta-discordancia-pelo-cancelamento-da-feira-de-castro/

Mais informamos que, para além dessa primeira notícia, onde o comunicado do Bloco de Esquerda foi difundido INTEGRALMENTE, a jornalista da Rádio Castrense contactou telefonicamente o Sr. Adelino Coelho, coordenador do Bloco de Esquerda de Castro Verde, para que gravasse declarações áudio acerca da matéria difundida. Adelino Coelho gravou essas declarações que foram emitidas no dia 07 de outubro. Como dever de qualquer jornalista, foi efetuado por parte da Rádio Castrense o direito ao contraditório e as partes foram ouvidas e gravadas: O Sr. Adelino Coelho, enquanto representante do Bloco de Esquerda e o Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde, enquanto representante da entidade visada no comunicado do Bloco.

A jornalista, emitiu as declarações de ambas as partes, não as podendo difundir na totalidade, dada a extensa duração das gravações, o que em rádio ou televisão, é impraticável. contudo, as declarações do Sr. Adelino Coelho, bem como as do Presidente da Câmara de Castro Verde, António José Brito, foram disponibilizadas na ÍNTEGRA no “site” da Rádio Castrense, onde não existe qualquer constrangimento a nível de tempos.

A notícia está disponível desde o dia 07 de outubro no nosso portal e pode ser consultada aqui: https://radiocastrense.pt/castro-verde-comunicado-do-bloco-de-esquerda-sobre-a-feira-de-castro-com-reacoes/ .

Também ambas as edições noticiosas que foram para o ar, em antena, estão disponíveis no online, como sempre fazemos. Podem ambas ser consultadas por qualquer cidadão publicamente, aqui e aqui.

Nunca a Rádio Castrense tentou silenciar o Bloco de Esquerda. Prova disso, é que este partido político, à semelhança de outros, mantém uma crónica de opinião semanal, em que fala aquilo que entende, com liberdade total. Nunca tais crónicas e opinião foram alvo de abordagens pela nossa parte ou de qualquer corte, ainda que por vezes os cronistas se possam estender um pouco no tempo de gravação.

É igualmente observável, as inúmeras notícias publicadas pela Rádio Castrense em torno do Bloco de Esquerda de Castro Verde, e do BE em geral, na divulgação das suas ações. Factos, uma vez mais comprováveis no Portal da Rádio Castrense, bastando efetuar pesquisa por “Bloco de Esquerda”.

Como se pode verificar, estes são apenas alguns exemplos de matéria noticiosa difundida pela Rádio Castrense, que demonstram em como sempre foi dada a devida atenção aos temas do Bloco de Esquerda e que está disponível ao público.

Cumpre-nos esclarecer que o que está aqui em causa é um “direito de resposta” que o Bloco de Esquerda de Castro verde “exige” à Rádio Castrense, em resposta às declarações do Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde. Diz o Bloco, no comunicado emitido a 11 de outubro, o seguinte: “O núcleo concelhio de Castro Verde do BE manifestou, através de comunicado, discordância com o cancelamento da edição 2021 da tradicional Feira de Castro. Esse comunicado foi noticiado pela rádio Castrense no dia 7 de Outubro, acompanhado de declarações a que o Presidente da câmara respondeu, acusando repetidamente o Bloco de ser “populista e irresponsável” por, segundo as suas palavras, “cavalgar a onda”… O núcleo de Castro Verde do BE reagiu a estas declarações gravosas e de todo injustificadas do Sr. Presidente da Câmara pedindo à Rádio Castrense, no âmbito do direito de resposta que a lei nos confere, o esclarecimento desta discordância absolutamente normal em democracia que, em vez de acusações desproporcionadas e arrogantes, deveria merecer um cabal esclarecimento sobre as verdadeiras razões do cancelamento da Feira” fim de citação. Prossegue o comunicado do Bloco, referindo que “A Rádio Castrense, como vem sendo habitual em relação ao BE de Castro Verde, omitiu uma parte importante do comunicado onde eram dados exemplos concretos que contrariam, de forma clara e objetiva, a questão do risco de contágio na Feira de Castro, comparativamente com outros eventos de idêntica ou maior dimensão que cumprem as orientações da Direção Geral Saúde e do próprio governo”.

Como comprovado acima, a Rádio Castrense NÃO OMITIU qualquer parte do comunicado, tendo sido divulgado INTEGRALMENTE a 06 de outubro, e cujo original guardamos na caixa de entrada do nosso e-mail.

O Sr. Adelino Coelho contactou a Rádio Castrense a pedir para gravar uma resposta ao Sr. Presidente da Câmara. Essa gravação foi realizada pela nossa jornalista estagiária de serviço, mas não foi emitida, por decisão da direção. Nem sequer houve qualquer compromisso de transmissão da mesma para com o Sr. Adelino Coelho. O mesmo, ainda nos pediu que fosse eliminada uma parte da gravação que tinha acabado de fazer. A gravação original permanece nos nossos arquivos.

Foi questionado via telefone ao Sr. Adelino Coelho, em que base legal exigia um Direito de Resposta à Rádio Castrense, para que pudéssemos apreciar o pedido, mas o Coordenador do BE de Castro Verde não foi capaz de nos enumerar um ponto legal que fosse, para fundamentar esse pedido. Foi ainda solicitado que nos enviasse o pedido por escrito, mas tal nunca nos chegou, pelo menos até ao presente momento.

Após consulta exaustiva à Lei n.º2/99, publicada em Diário da República n.º10/1999, Série I-A de 1999-01-13, entende a direção da Cortiçol não haver lugar a Direito de Resposta. Tal decisão pode ser contestada pelo Bloco de Esquerda Junto da Entidade Reguladora da Comunicação, que analisará e deliberará sobre os factos. A Rádio Castrense cumpre e cumprirá escrupulosamente a legislação em vigor e aquilo que nos é ou for legalmente determinado.

Entende ainda a Cortiçol, que os microfones da Rádio Castrense não serão utilizados para trocas de acusações entre partidos e “direitos de resposta” infindáveis. O assunto em causa, a não realização da Feira de Castro, foi jornalisticamente tratado. A notícia foi dada duas vezes, sendo que na segunda foram feitas, como já dissemos, gravações áudio com ambas as partes. A Rádio Castrense entendeu não haver mais matéria noticiosa, já que as partes foram ouvidas e as posições de cada entidade foram auscultadas. Não vai a Rádio Castrense alimentar por tempo indeterminado um assunto que já foi explicado pelos intervenientes e isso são critérios editoriais internos, não sujeitos a interferências ou pressões externas.

Por último, a parte final do comunicado do Bloco de Esquerda de 11 de outubro de 2021 diz o seguinte:

Ao contrário do que seria de esperar de um órgão de comunicação social isento e imparcial, a Rádio Castrense decidiu silenciar a resposta do Bloco de Esquerda, apesar de ter chegado a gravar um depoimento. Perante tudo o que ponha em causa as decisões do executivo PS da Câmara de Castro Verde, a Rádio Castrense ou trata a notícia de forma habilidosa, omitindo o essencial, ou a silencia, como aconteceu neste caso concreto. O núcleo concelhio de Castro Verde e a Coordenadora Distrital de Beja do BE manifestam o seu veemente protesto, exigindo mais respeito da parte da Rádio Castrense, cujos profissionais sempre respeitámos. O Bloco não abdica da defesa ativa da democracia e do pluralismo nem de contribuir, de forma responsável e construtiva, para a melhoria efetiva das condições de vida das populações do concelho de Castro Verde e do distrito de Beja, tal como em todo o país”.

A Cortiçol, a Rádio Castrense e todos os profissionais afetos a esta casa, não se reveem nas graves acusações feitas pelo Bloco de Esquerda de Castro verde e da Distrital de Beja do partido, que põem em causa o bom nome e honra desta estação e dos seus profissionais.

A Cortiçol repudia totalmente o comunicado do Bloco de Esquerda e desmente cabalmente todas as acusações que nos são imputadas por esse partido político.

Trabalharemos, como sempre, em prol da informação isenta, rigorosa e transparente, para formar e informar o nosso auditório, como é nosso apanágio há praticamente 35 anos ao serviço do concelho de Castro Verde e da Região.

Castro Verde, 12 de outubro de 2021

A Direção da CORTIÇOL – Cooperativa de Informação e Cultura C.R.L.

Latest Posts

spot_imgspot_img

Não perder

Newsletter

Recebe toda a informação na tua caixa de correio, subscreve a newsletter.