17.6 C
Castro Verde Municipality
Domingo, Novembro 27, 2022

Últimas Noticias

CIMBAL acolheu Seminário “Apresentação do Observatório de Educação do Baixo Alentejo”

No passado dia 26 de novembro, teve lugar no auditório do Serviço de Formação Profissional de Beja, o Seminário: Apresentação do Observatório de Educação do Baixo Alentejo: Os Desafios da Educação, promovido pela CIMBAL.

Este seminário que contou com a participação do Secretário de Estado João Costa, “teve como finalidade dar a conhecer aos agentes educativos e municipais, o Observatório de Educação do Baixo Alentejo, que tem vindo a ser implementado, e que tem como pressuposto a criação de uma plataforma de gestão de informação no domínio da Educação” refere a CIMBAL.

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) criou um observatório que recolhe e disponibiliza informação para ajudar escolas e municípios da região em processos na área da educação para melhorar o sucesso escolar. O Observatório de Educação do Baixo Alentejo é uma plataforma eletrónica que permitiu criar “o que podemos chamar de um ecossistema de gestão de informação de educação”, explicou José Veiga, diretor da empresa que criou e está a desenvolver a plataforma para a CIMBAL.

Este ecossistema de informação pode ser usado de forma recorrente “em prol de ações de melhoria e otimização do desempenho educacional” e do sucesso dos alunos, frisou.

O responsável falava num seminário, organizado pela CIMBAL e que decorreu hoje em Beja, para apresentar o observatório e refletir sobre os desafios da Educação no Baixo Alentejo. Segundo José Veiga, a plataforma permite recolher informações a partir de sistemas dos agrupamentos de escolas e municípios da região para gerir diferentes operações e tem módulos que disponibilizam aplicações para registo e gestão de informações associadas a diversos processos.

Além das ferramentas de recolha e registo de informação, apresenta vários indicadores em páginas que permitem aos utilizadores “correlacionarem várias dimensões de análise e consultarem informação multidimensional”. E também contribui para “a modernização das soluções tecnológicas disponíveis” nas entidades envolvidas, permitindo-lhes “otimizar os processos de gestão” e aceder a informações que permitem “claramente ter uma intervenção mais ativa e mais fundamentada”, vincou.

A vantagem é que, com a informação disponível, “passa a ser possível a cada escola determinar objetivos a atingir, políticas, práticas, ações e projetos” que “permitam otimizar o sucesso escolar”, frisou.

Segundo José Veiga, a plataforma, assegurando a proteção e a segurança de acesso de dados, tem três níveis de informação, sendo um primeiro para os agrupamentos de escolas, um segundo para os municípios e um terceiro agregado e que é o portal CIMBAL. O primeiro nível contém informações dos agrupamentos de escolas e só utilizadores autorizados têm acesso à informação, que depois podem disponibilizar às equipas internas. O segundo integra informações relacionadas com os processos de gestão na área da educação de cada um dos 13 municípios da CIMBAL, como os relativos aos transportes escolares e às atividades de enriquecimento curricular.

Os níveis dos municípios e da CIMBAL têm informação anónima em relação aos indicadores que resultam da informação dos agrupamentos para garantir a proteção de dados. Já o portal CIMBAL tem mais de 40 páginas de indicadores agrupados em várias categorias e que permitem caracterizar globalmente o contexto da educação no Baixo Alentejo, como população escolar, avaliação e situações de risco associadas ao desempenho dos alunos.Atualmente, “um ano e pouco depois do arranque do projeto”, a plataforma está a ter “uma utilização significativa” da parte dos agrupamentos e municípios, disse José Veiga.

Os utilizadores vão passar, agora, para “a fase verdadeiramente interessante: a da utilização recorrente da informação em prol das ações de melhoria e otimização do desempenho educacional”. Segundo José Veiga, com o observatório pretende-se atingir três objetivos, o primeiro deles “disponibilizar informação fiável e atempada com atualizações regulares por semestre ou período letivo”. O segundo objetivo é facilitar a análise e a monitorização recorrentes do sucesso escolar em tempo útil, para permitir aos decisores nos agrupamentos e municípios tomarem medidas, e o terceiro é permitir identificar situações associadas a insucesso e ações e projetos que permitam incidir sobre as condicionantes para otimizar globalmente o sucesso escolar.

Latest Posts

spot_imgspot_img

Não perder

Newsletter

Recebe toda a informação na tua caixa de correio, subscreve a newsletter.